Half of the Moon and Lunar X in a Craters Show


| | |

When the Moon in it´s orbital movement around Earth is 50% illuminated the by sunlight, can show us a beautiful game of light and shadows providing a remarkable view from its large and small craters, in a one night show for an observer equipped with a telescope. In this high resolution sharp mosaic of two panels, composed by an average stack of 16 pictures each one, the crescent moon lies at a distance of more than 373,000km from Earth, showing besides the grey landscape spread by lunar impacts of ancient times, an interesting shape known as the Lunar X (try to find it for yourself). This strange effect in which light and shadow creates the appearance of a letter ‘X’ on the rim of the Blanchinus, La Caille and Purbach craters, is only visible for a few hours before the first quarter, slightly below the lunar terminator. But this fine sharp picture, can also provide a detailed view from craters like, Aristoteles with a diameter of 87km and a depth of 3.3 km, lies near the southern edge of the Mare Frigoris and to the east of the Montes Alpes mountain range. Posidonius (with a diameter of 95 km and a 2.3 km of depth) is a lunar impact crater that is located on the north-eastern edge of Mare Serenitatis, to the south of Lacus Somniorum. The floor is also slightly bulged due to the past lava uplift, which also likely produced the complex of rilles. The crater Chacornac is attached to the southeast rim, and to the north is Daniell. Not far away, in the northeast part of the Moon we find a similar but smaller shape of Hercules (with diameter of 69 km and a 3.2 km of depth).The crater floor has been flooded by lava in the past, and contains several areas of low albedo. Captured on April 4 of 2017 in Cumeada Observatory from Dark Sky® Alqueva Reserve, Reguengos de Monsaraz.

PT: Quando a Lua no seu movimento orbital ao redor da Terra se encontra 50% iluminada pela luz do Sol, revela-se um fantástico jogo entre luz e sombra, proporcionando uma visão notável desde as crateras mais pequenas às mais profundas, incluíndo vales, montes e mares. Uma visão ímpar ao alcance de um observador equipado com telescópio ou binóculos. Neste mosaico de alta resolução de dois painéis, composto cada um por 16 imagens empilhadas, a lua crescente encontra-se a uma distância de mais de 373.000 quilómetros da terra, mostrando além da paisagem cinzenta salpicada pelos impactos lunares ocorridos em tempos ancestrais, uma “intrigante e interessante” forma conhecida como o Lunar X. Este estranho efeito em que luz e sombra criam a aparência de uma letra “X” na borda das crateras de Blanchinus, La Caille e Purbach, só pode ser visível por algumas horas antes da Lua atingir o Primeiro Quarto (Crescente), Ligeiramente abaixo do terminador lunar. Esta imagem, permite ainda aceder a uma visão detalhada de algumas crateras como, Aristoteles com um diâmetro de 87 km e uma profundidade de 3,3 km, que fica perto da borda sul da Mare Frigoris e ao leste da cordilheira Montes Alpes. Posidonius (com um diâmetro de 95 km e 2.3 km de profundidade) é uma cratera de impacto lunar que está localizada na borda nordeste de Mare Serenitatis, ao sul de Lacus Somniorum. O “chão” desta cratera também é ligeiramente abaulado devido ao seu passado associada à passagem de lava, que também produziu provavelmente o complexo de fissuras. A cratera Chacornac é anexada ao bordo sudeste, e ao norte encontra-se Daniell. Não muito longe, na parte nordeste da Lua, encontramos ainda uma forma similar mas de menor dimensão, a cratera Hércules (com diâmetro de 69 km e uma profundidade de 3,2 km). O chão desta cratera foi inundado por lava no passado e contém várias áreas de baixo albedo.

Technical details | Detalhes Técnicos

Celestron C14 EDGE HD (XLT) | Canon 6D | ISO1250 – Exp. 1/250 | Mosaic of two panels with 16 images each. Cumeada Observatory from Dark Sky® Alqueva Reserve, Reguengos de Monsaraz.

BUY IT NOW | COMPRAR AGORA

Copyright 2018 © All rights reserved to the author Miguel Claro | The website content is primarily in english, and partially in portuguese: en | pt