Winter Constellations above Mitzpe Ramon in Negev Desert


| | | | |

Captured from inside of Ramon Crater or “Makhtesh Ramon” in Israel’s Negev Desert, is the world’s largest “erosion cirque” – a landform which are only found in the Negev and its extension into Egypt’s Sinai desert created 220 million years ago when oceans covered the area. Located in the southern of Israel, Negev is a rocky desert with clay hills known for their fantastic red and yellowish colors, and cover more than half of the country. Nomadic life in the Negev dates back at least 4,000 years, and perhaps as much as 7,000 years according to some books, featuring a number of small Bedouin cities. The image is featuring an arched path of faint light from the winter Milky Way full of deep sky objects visible as a diffuse red/violet colors. At left we can find Sirius, the brightest star in the entire celestial sphere, and next to it, Orion constellation, with the reddish emission coming from Orion Nebula. Above, we can also find Rosette Nebula. In the top right Auriga constellation and Taurus are visible, while the Pleiades, a small group of bright blueish stars, also known as the seven sisters, are set behind the horizon. The light pollution seen above the horizon is coming from Mitzpe Ramon.

Biliblically and according to the Book of Genesis chapter 13, Abraham lived for a while in the Negev desert after being banished from Egypt. During the Exodus journey to the promised land, Moses sent twelve scouts into the Negev to assess the land and population. Later the northern part of biblical Negev was inhabited by the Tribe of Judah and the southern part of biblical Negev by the Tribe of Simeon. The Negev was later part of the Kingdom of Solomon (in its entirety, all the way to the Red Sea), and then, with varied extension to the south, part of the Kingdom of Judah. Source from wikipedia.

PT: Captada a partir da Cratera Ramon ou “Makhtesh Ramon” no Deserto de Negev, é o maior “cirque de erosão” do mundo – uma forma que só é encontrada no Negev e na sua extensão até ao deserto do Sinai, no Egipto – criado há 220 milhões de anos atrás. Localizado no sul de Israel, o Negev é um deserto rochoso com colinas de argila conhecidas por suas fantásticas cores vermelhas e amareladas, e cobre mais da metade do país. A vida nómade no Negev remonta pelo menos a 4.000 anos atrás, e talvez até 7.000 anos, de acordo com alguns livros, apresentando uma série de pequenas cidades beduínas. A imagem mostra um caminho arqueado de luz fraca da Via Láctea de Inverno, cheia de objetos do céu profundo, visíveis como uma cor vermelha a violeta difusa. À esquerda, podemos encontrar Sirius, a estrela mais brilhante em toda a esfera celeste, e ao lado dela, a constelação de Orion, com a emissão avermelhada vinda da Nebulosa de Orion. Acima, também podemos encontrar a Nebulosa Roseta. No canto superior direito, a constelação de Auriga e Touro são visíveis, enquanto as Pleiades, um pequeno grupo de estrelas azuladas brilhantes, também conhecidas como as sete irmãs, se deitam por detrás do horizonte. A poluição luminosa visível acima do horizonte, provém de Mitzpe Ramon.

Biblicamente e de acordo com o capítulo 13 do Livro de Gênesis, Abraão viveu por um tempo no deserto de Negev após ser banido do Egipto. Durante a viagem do Êxodo à terra prometida, Moisés enviou doze exploradores ao Negev para avaliar a terra e a população. Mais tarde, a parte norte do Negev bíblico foi habitada pela Tribo de Judá e a parte sul do Negev bíblico, pela Tribo de Simeão. O Negev foi mais tarde parte do Reino de Salomão (na sua totalidade, todo o caminho para o Mar Vermelho), e depois, com extensão variada para o sul, parte do Reino de Judá. Fonte da wikipedia.

Technical details | Detalhes Técnicos

A mosaic of 6 single frames with a Nikon D810a | 21mm at f/2,8 | ISO2500 | Exp. 25 secs.

BUY IT NOW | COMPRAR AGORA

 

Copyright 2019 © All rights reserved to the author Miguel Claro | The website content is primarily in english, and partially in portuguese: en | pt